RESENHA | Um Amor Para Penélope, de Diane Bergher


A resenha de hoje é sobre um livro que eu amei do início ao fim. Tanto que  fui dosando porque  não queria  que acabasse, não queria me despedir dos personagens, nem da época. Para a minha sorte, terei em breve  mais um encontro com eles porque esse é o primeiro livro  de uma série linda chamada Belle Époque. Um nome que combina perfeitamente bem!!!

Um Amor Para Penélope traz a magia dos romances de época, aliado ao encanto dos personagens e a bela escrita da autora Diane Bergher. Um romance que mexe com o nosso emocional, hora às gargalhadas, hora aos suspiros, mas principalmente elevando e inebriando de amor o nosso coração!!!


Penélope perde a mãe ainda jovem e por alguns motivos particulares não pode seguir viagem com seu pai para a Inglaterra, ficando assim em um convento e aos cuidados de seu padrinho, madrinha e de um advogado. Seu pai se vai com a promessa de voltar, ela fica com a esperança desse regresso. Penélope ficou no convento, mas ela tinha a sua madrinha e um senhor advogado que fora nomeado como seu tutor. Jovem astuta, dona de si e de uma personalidade forte, por tudo o que lhe aconteceu ela acaba se fechando um pouco. Mas os Gusmão de Albuquerque vão conseguir entrar nesse coração e mudar muitas coisas lá.
Do seu jeito, Felipe conseguiu entrar no meu coração machucado, de uma maneira estranha  e nada convencional, confesso. Sempre tão determinado e objetivo, jamais poderia  supor que fosse um  romântico.
Violeta é a madrinha de Penélope. Ela deseja o melhor para a afilhada e sabe dos planos da jovem. Digamos que ela dará uma ajudinha à mudança na vida de encantadora Penélope, no momento em que diz precisar da ajuda da afilhada no Rio de Janeiro, pois não se encontrar bem de saúde. A partir desse intervém  tudo começa a mudar na vida de Penélope. Hum... mudanças são sempre bem vindas e essas são um mar de novidades que sacudiram o mundo da nossa protagonista.

Felipe é o filho primogênito de Violeta. Ele é um jovem viúvo e tem uma bonita e sapeca filha, Eloíse. Ele é um empresário renomado e muito dedicado. Centrado e um pouco mal-humorado, ele verá  sua vida dar uma reviravolta quando uma jovem cruza o seu caminho  no intuito de proteger Eloíse. Imponente ele não deixará transparecer, mas a bela jovem desperta nele algo nunca antes sentido.Sentimentos nascem e mesmo ele querendo muito, receio que não conseguirá domá-los, pois quando o coração sente, o corpo irradia.
Penélope tem um efeito avassalador sobre o meu juízo. Toda vez que a vejo, sou lançado num torvelinho de emoções e perco a capacidade de agir racionalmente.
Depois desse encontro muitos outros virão. Resistir é a palavra chave. Será que conseguem? Penélope e Felipe tem o que hoje chamamos de amor à primeira vista e  isso já é um ponto alto  na história, isso se os gênios deles não fossem mirabolantes... Aí está o momento top desse romance. A sagacidade desse amor e desses dois personagens é enaltecida pelos diálogos carinhosos e provocativos, pensamentos "Felipescos" e ousados, uma hilariante coleção de "Nossas Senhoras" existentes ou inventadas (amei). Muitas surpresas ainda  aparecem ao longo da história e dão aquele frisson gostoso durante a leitura. 
Assim que meus olhos encontraram os seus, meu coração saltou do peito. Levaria dias para compreender a intensidade do que havia sentido naquele momento.
Penélope e Felipe cativam desde o início e assim como eles, há também tantos outros que também marcam presença, como a bela Flora, o libertino Bento, a pequena Eloíse, o encantador Danilo e muitos outros. Eles já deixaram aquela curiosidade pela sua história, que com certeza virá mais pra frente, nos próximos livros. Um "já quero" toma conta de mim! Bom, mas eis que um personagem não quis nem saber de esperar a sua vez, e já causou e conquistou o meu coração desde já. Estou falando do ilustre Sr Lafaiete Boaventura. Esse mexeriqueiro de plantão, vai causar alvoroço na sua sociedade carioca e nas nossa curiosidade. Isso porque ele é um mistério para todos: leitores e personagens. Adorei  ele e  preciso dizer que ativarei meu lado Sherlock Holmes para descobrir quem é o esse misterioso personagem.
Penélope tornou-se a minha razão de  viver,  a minha razão de começar de novo, a razão para mudar quem  eu costumava ser. Por Penélope, eu moveria céus e terras, eu morreria e mataria. Viver por ela é o meu maior incentivo.
Uma capa primorosa e perfeita, um enrendo envolvente do início ao fim, levando os leitores ao ano de 1.897 e fazendo com que queiramos ficar por lá, tamanha a beleza da época e da história. A narrativa intercala entre Penélope e Felipe, o que dá aquela guinada na nossa ansiedade e felicidade e de poder ter os dois pensamentos, as duas narrativas. Esse livro se tornou meu amorzinho e desencadeou em mim uma louca vontade de maratonar todas as outras histórias. Amei cada momento, cada risada, cada suspiro, cada capítulo, cada cena de ciúme, cada coluna, cada disparate desses dois malucos e apaixonados!!! 

Diane Bergher apresenta a sua escrita ao leitor com maestria, conduzindo os leitores ao primeiro livro de uma série que promete abalar e encantar as nossas estruturas!!! Atrevo-me a dizer que esse foi o primeiro capítulo (livro) de muitos que virão e que serão tão ou ainda mais lindos!!! Estou simplesmente apaixonada por Penélope e por Felipe e super, mega indico a leitura e a série todinha!!!

0 comentários

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)