O FUNDO É APENAS O COMEÇO, DE NEAL SHUSTERMAN


Nem os avisos e nem a grande lista de premiações inclusa na início do livro foram suficientes para me preparar pra isso. Esse não é o primeiro livro que leio que envolve um personagem que precisa lidar com distúrbios mentais, mas, definitivamente, o mais forte

No livro, vemos os acontecimentos narrados pelo personagem principal, Caden. A história se divide em dois momentos, a realidade e a imaginação do rapaz. Na primeira, acompanhamos a vida de Caden, sua relação com seus amigos e familiares, e como ele lida com o mundo real, enquanto na segunda, ele está numa expedição pelo mar num tipo de navio pirata.

Com o desenvolver da história, vemos como a vida de Caden e as pessoas próximas a ele se transformam à medida que as manifestações da doença se tornam mais frequentes e intensas. Também é muito interessante ver a aventura no navio sendo moldada a partir dos acontecimentos no 'mundo real'.


Neal criou um equilíbrio perfeito de sentimentos. Ao longo das quase trezentas páginas sentimos de tudo, desde um leve tom de humor até alta tensão. Apesar de se tratar de um assunto muito sério, o autor elaborou a narração de maneira que seja possível ler sem se sentir sobrecarregado, e claro, sem querer largar o livro até saber qual o desfecho.

A publicação por aqui ficou nas mãos da editora Valentina, e, como de costume, eles não deixaram nada a desejar. A ilustrações (feitas pelo filho do autor nos momentos em que seu distúrbio entrava em crise) estão espalhadas desde a capa ao longo de todo o livro e, além da bela arte da capa, esta ainda tem uma textura diferente no título.

Como mencionei no começo dessa resenha, além de uma nota do autor no final, o livro traz uma página listando todos os prêmios que ganhou e, para honrá-lo ainda mais, temos as palavras de Laurie Halse Anderson (autora de Fale!, excelente livro também premiado) que não poderiam defini-lo melhor: "extraordinário".

0 comentários

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)