A COR DA CORAGEM, JULIAN KULSKI

Oi pessoal, tudo bem?

Na resenha de hoje, vamos fugir um pouco do mundo da fantasia e falar sobre a 2ª guerra mundial. No livro A Cor da Coragem, temos o relato real de Julian Kulski e tudo o que ele presenciou entre 1939 e 1945.


O relato se inicia quando Julian tinha apenas dez anos e muita vontade de lutar na guerra. Diferente do Diário de Anne Frank, que foi escrito no dia-a-dia da guerra, A Cor da Coragem surgiu de um relato pós-guerra – uma tentativa de expressar tudo que o vivenciou ao longo desses anos e das memórias atormentadoras que não queriam ir embora. E, justamente por isso, é um livro mais denso, uma escrita mais dura.

“Quando se teve pela primeira vez a ideia de publicar meu relato, dei-me conta de que isso deveria mesmo ser feito, por dois motivos: primeiro, por conter um registro contemporâneo dos acontecimentos, ao qual os historiadores possam se referir [...] e também, o que é mais importante ainda, para que as minhas experiências fiquem na memória dos meus companheiros e das inúmeras outras pessoas corajosas de Varsóvia que simbolizam o triunfo do espírito humano sobre a opressão e o terror.”

Conforme você avança a leitura, as atrocidades vão piorando: pessoas sendo desalojadas de suas casas, sendo enviadas a campos de concentração, regras e restrições que não fazem sentido, insegurança e perdas. Muitas perdas.

Como todo livro sobre o que realmente acontece numa guerra, não conseguia ler por muitas horas seguidas. Ficava imaginando as cenas descritas por Julian. É cruel se dar conta de que a humanidade chegou ao ponto de impor sacrifícios tão horríveis uns aos outros.

Outro detalhe no qual o livro se diferencia dos outros, é a riqueza de detalhes como fotos, mapas e manchetes de jornal da época


E já que estamos na era digital, nada melhor do usar da tecnologia para explicar a história também, não é verdade? Isso é uma novidade para mim! O livro tem vários extras digitais, que são pequenos vídeos, que podem ser acessados através de QR Code.


As memórias de Julian deixam um legado para todas as gerações: as que vivenciaram alguma guerra e, claro, as que nunca passaram nem perto de uma. Afinal, precisamos conhecer nosso passado para não voltar a repeti-lo!

A Cor da Coragem é um livro forte e denso, porém necessário! Sem dúvida, um dos melhores sobre o tema que já li.

 “Talvez venhamos todos a morrer na luta, mas jamais nos renderemos.”

0 comentários

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)