Header Ads

https://www.amazon.com.br/b/ref=as_li_ss_tl?node=16337903011&pf_rd_m=A3RN7G7QC5MWSZ&pf_rd_s=merchandised-search-1&pf_rd_r=25NB0E9QZ77ARZK9R4XS&pf_rd_t=101&pf_rd_p=016d5e8e-fbd7-4556-89df-e2fa66391ee3&pf_rd_i=16337903011&linkCode=ll2&tag=maravilhdesco-20&linkId=fd09f073782dbee08f43fefbb4db448b

OS PORQUÊS DE TANTAS TARTARUGAS

"Um cientista bem conhecido uma vez estava dando uma palestra pública sobre astronomia. E ele explicava que a Terra gira em torno do sol, que por sua vez, gira em torno do centro de uma vasta coleção de estrelas que conhecemos como a nossa galáxia. No fim da palestra, uma senhorinha se levantou ao fundo da sala e disse: 'Tudo que você está nos dizendo é lixo! O mundo, na verdade, é uma placa plana apoiada nas costas de uma tartaruga gigante'. O cientista deu um sorriso superior antes de replicá-la: 'Mas, então, onde que a tartaruga está apoiada?' E a senhora prontamente respondeu: 'Em outra tartaruga. Uma acima da outra. Tem tartarugas até lá embaixo."

Resultado de imagem para fan art tartarugas ate la embaixo
Imagem ilustrativa Editora Intrínseca 

O texto citado em "A Breve História do Tempo", escrito por Stephen Hawking em 1988, faz menção a expressão do problema de regressão infinita conhecida desde o inicio do século 20. Como no texto, com base na regressão infinita podemos "simplificar" o problema e entrar num circulo vicioso onde uma pergunta sempre leva a mesma resposta inúmeras vezes. 

Aristóteles afirma que o conhecimento em si não permite uma regressão porque alguns conhecimentos não precisam de demostração. Eles apenas são deduzidos, eles apenas existem. A regressão infinita é um problema. Mas quando o problema está completamente dentro de você, as vezes não se tem como fugir desse espiral infinito. E é daí que John Green tirou o título de seu novo livro, 'Tartarugas até lá embaixo'. Há coisas que você precisa aceitar para conseguir seguir em frente. 


Aza Holmes é uma menina que sofre de Transtorno Obsessivo-Compulsivo e, por conta disso, vive num mundo de regressões infinitas. Pode-se dizer que o infinito dela é maior que todos os infinitos. No vídeo onde John Green revela o primeiro capítulo de sua próxima história podemos ver claramente uma imersão de sentimentos e pensamentos viciosos onde a protagonista se encontra no meio de uma confusão externa de sons, futilidades e expressões das pessoas à sua volta. 

Mesmo com toda explicação do mundo, Aza parece estar presa num circulo de pensamentos sem fim. Onde todas suas perguntas levam ao mesmo lugar sempre; outras perguntas. Para nos ajudar a entender melhor esse transtorno, Green vem falar sobre algo que sentiu em sua própria pele. Quando todos os olhos te olham e esperam algo extraordinário de você, como você reage? O escritor entrou em seu próprio mundo de infinitos. E esperamos que Aza, assim como os personagens criados por Green até hoje, tenha algo a ensinar sobre Tartarugas.

                                                                                   

2 comentários:

  1. Esse livro é um pouco complicado, não é? rsrsrs. Mas, sua resenha está ótima,
    Grande abraço,
    Drica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é bem complicado! Green sempre acaba trazendo alguns assuntos complexos.

      Beijos

      Excluir

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.