Header Ads

A DIFERENÇA INVISÍVEL, MADEMOISELLE CAROLINE E JULIE DACHEZ

Marguerite tem 27 anos, uma casa, uma profissão (que não curte muito), um namorado e o mais importante, um cachorrinho e dois gatos. A vegetariana que ama chocolate e dias ensolarados é diferente, porém igual como todo mundo. A unica coisa que realmente a "diferencia" é ser uma moça muito quieta e que segue seus horários à risca, na verdade até um pouco demais

A hq originalmente francesa publicada aqui no Brasil pela Editora Nemo conta a trajetória dessa mulher que não consegue se encontrar e é tachada de estranha pelas pessoas que a rodeiam por isso. Mas o que nem todos nessa história sabem, e na verdade nem ela, é que Marguerite sofre da síndrome de Asperge, que é nada menos do que um tipo de autismo.


Tendo uma leitura muito sensível a comic pode ser facilmente denominada como uma grande obra de arte para todas as idades! Com o passar das páginas e Marguerite mais sã de si mesma e se descobrindo cada vez mais os quadrinhos passam do preto e branco pra pouco a pouco um colorido que pode ser simbolizado com sua vida entrando nos eixos.

O livro tem uma forma descontraída e simples de explicar para seus leitores um pouco mais sobre o que é essa tal doença, que por muito tempo foi conhecida como um "retardo" e que no passado taxava seus portadores de "doentes mentais" que não poderiam ser capazes de seguir uma vida normal com certas limitações, como a de qualquer pessoa habitando o mundo!



Na hq, mesmo imaginando que havia algo "errado", a própria Marguerite não sabia o que tinha e porque sempre sentia certas diferenças entre ela e as outras pessoas. O que me fez pensar, que existem tantas pessoas no mundo com os mais diferentes transtornos que não tem o mínimo de informação e que vivem suas vidas com muitas dificuldades em certas coisas apenas por não saberem que tem bipolaridade, TDAH, depressão entre muitos outros. 

Com A Diferença Invisível nós podemos lembrar que esses transtornos não só existem, mas que mesmo sendo bem repercutidos por ai, nem sempre mostram um aprofundamento do que realmente são e que se um livro como esse virasse um material acadêmico, por exemplo, poderia estar levando cada vez mais para casa de mais crianças o mais cedo possível que as diferenças existem e que as vezes o "diferente" pode até mesmo ser você e que é extremamente importante se conhecer.

Nenhum comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.