Header Ads

A GAROTA DO CALENDÁRIO - JUNHO, DE AUDREY CARLAN



Hoje trago para vocês mais um livro da série A Garota do Calendário, da Audrey Carlan, lançado pela editora Verus. Agora estamos no livro de  Junho, e Mia Saunders é uma jovem que para pagar uma divida do pai, passa a trabalhar como acompanhante de luxo, com clientes que a contratam por um mês, para interpretar namorada, modelo fotográfico ou que mais desejarem. Dessa vez, Mia vai para a capital dos Estados Unidos, contratada por um empresário renomado e pai de um senador. Ela deve se passar por uma "garota troféu", enquanto ajudar a Warren a conseguir apoio para um empreendimento que pode ajudar muitas pessoas necessitadas. Junto com isso ela tem que lidar com o filho dele Aaron, que vai se revelando a cada encontro, e com seus sentimentos por Wes que podem atrapalhar seus próximos seis meses de trabalho que faltam.

Posso dizer que dos seis primeiros livros da série, esse pode ser o que gostei menos. Ele ainda é um ótimo livro, que segue a linhas dos outros, mas não foi aquela historia que trouxe novos personagens cativantes. O cliente de Mia, Warren é um senhor rico, mas cheio de boas intenções, enquanto é apaixonado pela governanta de sua casa, que ajudou a criar seu filho, mas que não consegue revelar seu relacionamento por medo de atrapalhar seus planos de negócios. 

Mia acaba agindo como cupido mais uma vez, tentando resolver os problemas do casal. E a Kathleen, a governanta, é um doce também. Gostei muito do fato de que antigos personagens aparecem neste livro, e como finalmente parece que a ficha pode estar caindo para Mia, sobre o que ela sente e espera ter sobre o Wes. Junho também trouxe algo mais sério e sombrio a série, mostrando que nem tudo são flores nesse processo de ser acompanhante de luxo, como Mia tem tido até este livro. Isso foi o mais inovador em relação aos outros livros, e o que me fez gostar dele.


Percebi que cada livro e encontro de Mia, acaba acrescentando algo na vida dela. Faz a protagonista perceber uma nova mudança. Nesse caso, acho que a temática gira em torno da família que criamos fora do sangue. Enquanto algumas das pessoas que conheceu nos últimos meses se tornaram apenas seus amantes, ela também fez grandes amizades, e para alguém que sempre foi independente e ligada apenas ao pai, irmã e melhor amiga, Mia percebe que algumas coisas nessa jornada, ela vai levar para a vida toda.



Nenhum comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.