O GAROTO DO CACHECOL VERMELHO, DE ANA BEATRIZ BRANDÃO

O garoto do cachecol vermelho conta a história de Melissa, uma menina cheia de mi mi mis que não está acostumada a receber um não como resposta e que vai pouco a pouco se apaixonando por um garoto diferente que parece sempre disposto a contrariá-la e ensina-la uma lição!


Melissa é uma bailarina muito dedicada que espera sua carta de aceitação em um curso de Ballet em Nova Iorque e que acredita que não há nada nem ninguém que possa ser tão importante quanto a realização de seu sonho. Após se estressar com um estranho menino na noite de ano novo ela coincidentemente volta a esbarrar com ele pelos corredores de sua faculdade e por ver que o temperamento da menina não era dos melhores e que ela era cheia de preconceitos e tabus, Daniel tenta lhe dar uma lição para ver se ela muda sua forma de pensar.

Desde a criação até as idéias, Daniel e Melissa não tem um pingo de similaridade!

É impressionante como estar com uma pessoa,independente de ser um relacionamento amoroso ou não, nos faz mudar e muitas vezes amadurecer. No caso de Melissa era praticamente essencial que em algum momento de sua vida ela encontrasse Daniel! O yin e yang pode ser uma grande comparação para esse casal, que são completamente opostos mas que se completam muito bem!


A autora Ana Beatriz Brandão conseguiu construir tão bem a personalidade de Melissa que eu particularmente não consegui ignorar o fato de que estava apenas lendo mais uma história fictícia e ficava com raiva do temperamento da personagem a ponto de fechar o livro por alguns minutos e me perguntar se valia a pena me estressar com ela!  

Porém, sim! Valeu muito a pena! Pouco a pouco Melissa vai abrindo seus olhos e parece amadurecer ao longo da história. E o que me chamou atenção para começar a ler esse livro foi o fato de eu me identificar com ele. Não, não com o estilo de Melissa, mas sim com a incerteza que a menina tem em relação a tomar suas decisões, entre realizar seu sonho de estudar internacionalmente e tentar se tornar uma bailarina bem sucedida ou agir menos com sua cabeça e mais com seu coração e finalmente se permitir a cometer impulsos.


A verdade é que O garoto do cachecol vermelho pode não representar a história de todos os adolescentes, mas só por mostrar tanto esse sentimento de incerteza no ar todos, independente da idade, provavelmente em algum pequeno momento estarão propensos a se identificar com a trama!  

E depois de me fazer suspirar, chorar e me deixar com ódio em alguns momentos, posso recomendar esse livro para quem está disposto a sentir um mix de emoções e até um friozinho na barriga ao lê-lo! 

2 comentários:

  1. Que resenha fofa e que fotos lindas!!! Fiquei muito feliz em saber que gostou do livro. Muito obrigada pelo carinho! <3

    ResponderExcluir

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Instagram