UM MAIS UM, DE JOJO MOYES


Jojo Moyes sabe como quebrar um coração! E eu não falo dos clichês dramáticos, não é só matar alguém ou separar um casal bonito. Jojo consegue te fazer ver a vida de uma forma triste e bela, tudo ao mesmo tempo. Um mais Um conta a história de todas as famílias, convencionais ou não.


"A frase preferida de Jess (junto a "Vai dar tudo certo", "Vamos dar um jeito" e "Nossa, Norman!") é que as famílias existem nas mais variadas formas e tamanhos. "Nem tudo está dentro das estatísticas agora", diz ela, como se, de tanto ouvi-la fazer essa afirmação, devêssemos acreditar nisso."


Jess está tentando sobreviver. Ela é mãe solteira de dois filhos, Tanzie e Nick, sendo que esse último não tem um pingo do sangue dela correndo nas veias, não que isso faça alguma diferença para Jessica Rae "Vai dar tudo certo" Thomas, a mulher é uma força a ser temida e eu consigo imagina-la do lado das nossas guerreiras literárias. Tudo está desmoronando aos poucos para a família, tanto financeiramente quanto emocionalmente. Mas quando Tanzie, uma prodígio em matemática, tem a chance de tentar estudar em uma escola renomada, Jess acaba embarcando com seus filhos e seu cachorro em uma viajem de carro, como uma última tentativa de mostrar que a vida não é feita de injustiça e sonhos frustrados.


Claro que o carro para de funcionar, e quem são os irmãos de "Desventuras em série" perto da família Thomas? Eu já estava rindo de nervoso quando o milionário e futuro presidiário Ed Nicholls aparece e oferece carona para a família, o que ao invés de ser um alívio para Jess, complica ainda mais a sua vida por causa de um segredo que pode abalar toda a visão que os filhos tem dela. Durante o caminho eles acabam descobrindo mais sobre si mesmos e sobre a singularidade de cada família, que por mais que seja desajustada e complicada, é a única que você tem.

Não sei se Jojo tem a capacidade de escrever algo ruim, já ouvi de amigos leitores se referindo a alguns autores com frases do tipo: "Quem leu um livro dele, leu todos" e "O enredo é o mesmo, só mudas os nomes", o que passa longe de ser um elogio, acho importante que o autor mantenha a sua essência e nos dê um enredo diferenciado ao mesmo tempo. Ok, não é uma coisa simples de se fazer. Mas Jojo parece não ter problemas com isso e consegue quebrar o seu coração, como eu já disse no começo, de muitas formas diferentes.

O livro é lindo, gosto muito do estilo Clean, cores claras, letras em harmonia na capa, nada muito carregado. Os capítulos são divididos entre os que estão no carro, só Norman -o cachorro- não ganha uma voz na narração, que muda de terceira para primeira pessoa. Um mais Um é o meu livro favorito da autora, pelo menos até agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Instagram