A MEDIADORA - LEMBRANÇA, DE MEG CABOT






Mais de uma década após o último livro da série A Mediadora, Meg Cabot retorna com mais uma aventura da mediadora mais boca suja e famosa da literatura: Suzannah Simon. O livro se passa seis anos após o ensino médio, e Suzie está fazendo psicologia na faculdade local e fazendo um estágio não pago na Escola da Missão, onde se formou. Enquanto isso, Jesse está fazendo a residência de medicina em outra cidade, e os dois estão de casamento marcado. Tudo parece perfeito, se não fosse algumas coisinhas.


Jesse quer esperar o casamento para consumar a relação, o que está deixando Suzie louca. Além disso o fantasma de uma criança bem irritada está seguindo uma aluna da Missão e causando problemas. E para completar, Paul Slater está de volta, lindo, rico e com a noticia de que comprou a antiga casa onde Jesse morreu. E mais do que isso, avisa que seu plano de derrubar a casa pode liberar uma maldição que vai destruir tudo o que Jesse e ela construíram. Mas Paul quer fazer um acordo: não derrubar a casa, se Suzannah se tornar dele.

Foi só ler o primeiro capitulo do livro, que já foi possível lembrar porque gostava tanto da série A Mediadora. De forma um pouco mais madura e com uma temática mais séria, Meg Cabot trás de volta todos aqueles personagens que tanto conquistaram os leitores. Apesar de mais adulto, o livro não perde nem um pouco da diversão característica dos outros livros. A protagonista, Suzannah, continua com o mesmo jeito despojado, e tentando equilibrar seu trabalho como mediadora e seu desejo de terminar a faculdade e atuar com aconselhamento juvenil, ajudando jovens que como ela são mediadores, mas desconhecem isso.


É apaixonante ver a relação dela com o Jesse. Ele como sempre, conquistando os corações das leitoras. E os diálogos dos dois é algo gostoso de se ver. Outro que também voltou com tudo, e se destacando como sempre, é Paul Slater. É diversão garantida ver ele e Suzie discutindo. Também somos apresentados a novos personagens, e há surpresas garantidas no final. Este também foi o primeiro livro da série que me emocionou. Ele lida com um tema bem difícil, mas faz isso com toda a sensibilidade, mesmo com a aventura e bom humor envolvido.

Tenho certo receio quando autores lançam novos livros de séries ou livros que já se encerraram, mas Lembrança é a prova de que muitas vezes, apesar do tempo, o autor não perde o poder sobre aquele universo que uma vez nos conquistou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Instagram