Header Ads

LEITURA À DOIS: Cartas de Amor aos Mortos, de Ava Dellaira


Adivinha quem tá de quadro novo? Isso mesmo, o MD! E no Leitura à Dois, a resenha será um pouco diferente. Se trata de uma resenha feita à partir das respostas de 5 perguntinhas elaboradas com muito carinho, e para ficar melhor ainda, essas perguntas não serão respondidas só por mim, mas também por um blog parceiro! E o parceiro da vez é 
Hot Coffee que é um blog bem legal, aborda diversos assuntos, e super indico uma passadinha por lá! Como esse quadro é um pouquinho mais elaborado, ele terá somente uma vez por mês - ahhhhhhh! - mas sempre virá com o melhor conteúdo para vocês leitores maravilhosos do MD! Então, chega de lenga-lenga, e bora para a Leitura à Dois?


Para começo de conversa, do que se trata a história?

Cartas de Amor aos Mortos, de Ava Dellaira é composto por várias cartas escritas por Laurel. Cartas, que tem como destinatário famosos já falecidos, como Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabet Bishop e vários outros. Tudo começou quando Laurel em sua nova escola recebeu a tarefa de escrever uma carta à alguém que já havia falecido. Nessas cartas, Laurel transborda sentimentos e descreve seus sofrimentos que tanto lhe abalam por conta de uma perda que sofreu recentemente de um ente querido. A história demonstra muito como a fase de superação após uma perda, não é nada fácil, e como uma perda pode detonar a vida de alguém.

O que você achou da escrita da autora no decorrer do livro, e como ela soube usar isso à seu favor? 

Ava escreve minuciosamente bem, e sabe como tocar seus leitores no íntimo. Ela mexe psicologicamente e emocionalmente com você, mesmo que você nunca tenha perdido ninguém em especial. A escrita é mansa e direta. Os acontecimentos decorrem de uma forma leve e que faz você querer devorar o livro, mesmo que você saiba que vai ficar com saudades dele quando acabar. Ela usou isso muito bem, ainda mais com a pequena brecha que deixou no final, a qual faz você ficar: "E o que aconteceu depois? Como assim? Alguém me ajuda aqui!".


Que mensagem você crê que a autora quis passar com sua história?

Em Cartas de Amor aos Mortos, no decorrer da história, você vê que a mensagem ali transmitida é a de superação. Os sentimentos de Laurel são intensos e afeta muito quem tá a sua volta. O livro mostra o quanto é doloroso, e como não temos como ajudar na maioria das vezes. O livro praticamente te ensina, que se isolar também não é a melhor solução, mas estar no meio daqueles que você ama e que lhe fazem feliz, sim. Pois se você já perdeu alguém que tanto amava, você tem que aproveitar seu tempo com aqueles que ainda estão do seu lado, pois amanhã eles podem não estarem mais ali também. A culpa é um sentimento horroroso, mas que por vezes nos habita, e mesmo assim, nós temos que ser fortes para continuar nossas batalhas de cada dia. 

E com essa mensagem, que aprendizado você agregou em sua vida?

Para mim que já perdi alguém - aliás, recentemente - vejo como os meus sentimentos bateram com o da personagem. Vi que havia situações muito semelhantes e, que se eu quisesse minha vida melhor, assim como Laurel, eu deveria guardar meus sentimentos em um potinho e jogá-lo para o mais longe possível. 
Em Cartas de Amor aos Mortos, pra sua vida, você consegue agregar que a dor da perda pode ser fatal, mas que por aquele ou aquela que se foi, você tem que viver. Você aprende que quando for papéis inversos, no caso um amigo seu perder alguém, você também tem que ser compreensível com aquela pessoa, pois ela precisa de você ali, do seu conforto, não da sua pena ou dó. 
A mensagem é abrangente e te agrega aquilo que você pede, mas insistentemente, ela te mostra que mesmo que sua dor seja a mais terrível, terá outras mais terríveis ainda por aí.

Para finalizar, qual trecho do livro lhe chamou mais atenção, e por quê?

"Sabe quando, no inverno, os galhos das árvores estão sem folhas e repletos de pássaros? Hoje foi assim. Eles estavam totalmente imóveis, cobrindo a árvore de penas. Eu tremia. O vento soprava forte, mas os galhos com os melros 
não se moveram nem um pouco."

Ava, nesse trecho dá um tapa na cara do leitor. Pois foi a forma dela dizer "Ei, olha aqui, tá vendo isso? Eles não estão tremendo porque estão todos juntos." e "Venha, iremos te ajudar a parar de tremer. Mesmo em um lugar fechado, você ta aí, tremendo. Tem certeza que quer continuar aí, sozinha? Olhe para nós, e veja como estamos bem. Vem ficar bem também..."
E isso resume maravilhosamente bem todo o livro. Porque a dor não se vai embora sozinha, ela vai embora com a ajuda de quem está à sua volta, mas principalmente, com a sua ajuda, porque se você não querer se ajudar, quem vai querer?



E então? Minhas respostas bateram com o que vocês pensaram? Sim? Não? Ficaram na dúvida? Então cliquem aqui, e vejam as respostas que a Victória colocou. E coloquem a de vocês aqui nos comentários também para nós trabalharmos a mente um pouquinho em cima desse livro que é tão maravilhoso! Então é isso, um beijo e até a próxima postagem!

Nenhum comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.