A CHANCE, DE PAULINY NUNES


A história começa na briga entre Beatriz e Hugo, que são casados há 10 anos. Hugo sai de casa logo após a briga e não volta mais. Ao passar algum tempo, manda os papéis pedindo o divórcio, deixando Beatriz completamente desolada.

Sônia melhor amiga de Beatriz, vai se casar. Na festa de teste, antes da cerimônia oficial, Beatriz afronta Hugo que está acompanhado de outra mulher, causando vexame. Na festa encontra Flávio, amigo de infância, que ao saber de toda a situação, a chama para fazer uma viagem a Cairo, para que possa ver a situação de outra forma e decidir o que seria melhor para sua vida.


Durante a viagem, ambos relembram as aventuras de quando eram criançasLogo vem a notícia de que Hugo sofreu um acidente e ela precisa voltar ao Brasil para auxilia-lo nessa difícil recuperação (não tão difícil assim!). 

No decorrer da história, Miranda, mãe de Beatriz, gera muitos conflitos com sua filha, e a empresa que a pertence.  

O livro é um verdadeiro romance, com uma pitada de drama. Beatriz foi descrita, como uma mulher branca, com cabelos negros, bonita e além de tudo, uma mulher extremamente inteligente, porem influenciada pelos pais, não conseguiu desde jovem seguir a profissão dos sonhos, apenas depois do seu divórcio que se redescobriu


Hugo, vinha de família pobre, e com a ajuda de Beatriz entrou na empresa de sua família, moreno e simples.

Imprescindível notar, que muitas partes da história a narradora volta para contar determinados fatos passados, para ajudar o leitor a entender, o porque o personagem estava agindo de determinada forma.

Interessante, que  logo depois da narração da história contada na versão de Beatriz, referente as causas do divórcio, em um determinado ponto, ela volta a história para contar a versão do Hugo, nos explicando muitas coisas, e vendo que sempre terá dois lados da história.


Embora os diálogos sejam poucos, o ponto positivo disso, é que as descrições são bem detalhadas. A Chance é um tipo  que eu não estou habituada, mesmo assim não consegui parar de ler. Quando Beatriz resolve voltar para ajudar Hugo, fiquei tão revoltada e nervosa, mas ao mesmo tempo, pensando em como Beatriz era boa, por ter tido tal atitude, o que me deixou realmente curiosa para saber o que viria depois, como o Flávio reagiria diante disso, e como Beatriz daria a volta por cima. 

Uma história, que poderia ser baseada em fatos reais, por ser tão comum e ao mesmo tempo tão concreta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Instagram