Header Ads

Resenha: Amor No Ninho

Amor no ninho
Eu particularmente vou começar dizendo, que amo histórias com amor que começa na infância e cresce junto com as pessoas. Então digo que tinha certa expectativa com esse livro.


Vou começar falando das fases dos personagens. Marina e Daniel, se conhecem quando ela tem apenas nove anos. Ela perde os pais em um acidente de carro, e vai parar um orfanato, ela então é adotada pelos Harrison, se torna parte da família. Porém, seu novo irmão, imediatamente a faz sentir sentimentos que nunca a menina havia sentido em sua vida.


Bom, vou dizer que achei isso um pouquinho forçado, pois a autora coloca pensamentos e sentimentos muito adultos em duas crianças. Principalmente Marina, que parece ter muita consciência para uma menina tão jovem. Em pouquíssimo tempo ela entende não só que ama Daniel, aquele que deveria ser seu irmão, mas, que não pode confessar seus sentimentos  pois se não ela poderia ser não só rejeitada pelo garoto, como pela sua nova família.


Os anos se passam, e os garotos crescem feito irmãos. E na adolescência além dos hormônios, sentimentos estranhos brotam em Marina. O desejo de tocar seu “Irmão”, de beijá-lo a deixa confusa.


“Ele estava deitado na cama, com ventilador de teto no máximo. Aproveitei para me aproximar e num impulso o abracei, deitando ao seu lado. Ele ficou imóvel”


Ela quer ficar cada vez mais próxima dele, e isso confunde cada vez mais seus já confusos sentimentos de garota adolescente.



Os anos passam e assim como fisicamente, o sentimento da jovem cresce em seu peito. Ela esconde de todos o que realmente sente por Daniel, e sofre em silencio por esse amor platônico. Vendo seu irmão com outras garotas, já que Daniel ingressa na carreira de ator e começa a fazer sucesso. E como esperado muitas garotas se interessam por ele. E isso a magoa e irrita.


Então, com a ajuda de sua melhor amiga Shanti, elas armam um plano para enlouquecer Daniel. O que inclui Marina usar roupas curtas e coladas, e jogar charme para outros rapazes. O plano vai muito bem, ela perturba Daniel de tão forma que ela começa a demonstrar ciúmes. Porém, em um acesso de covardia, Marina desiste de tudo e decide esquecer o que sente por seu irmão adotivo e partir para outra. Ela já tem um homem em mente e se arrisca com ele. Em uma festa, em homenagem ao filme de Daniel que está fazendo muito sucesso, Marina está muito alegre – depois de alguns copos de champanhe – e dançando com ele, sensualmente, chama a atenção de seu irmão adotivo.


Claramente enciumado, e possesso, Daniel arranca Marina da dança sensual com o “francês”, e a tranca no banheiro feminino. Ele a ataca com beijos lascivos e quentes. E finalmente confessa seus sentimentos pela garota, que fica chocada, mas, explodindo de felicidade.


Eles confessam seu amor, e decidem, que pelo bem de todos, vão esconder seus sentimentos e seu namoro. Pelo menos até que Marina tenha idade de sair de casa, e seja maior de idade. Tudo vai se complicando, pois, os dois não aguentam esconder o que sentem por muito tempo. Então, eles bolam um pequeno e mirabolante jeito de “pertencerem” um ao outro. Enganando os pais eles se casam no Taiti e consumam seu tão grande amor.


Quando voltam de uma mágica e maravilhosa lua de mel, tudo volta a se complicar, pois, novamente eles tem que fingir ser irmãos. Os dois acabam decidindo contar a verdade, e chocam a todos. São rejeitados pelos pais, e hostilizados pelos que são incapazes de intenderem seu amor. Tudo vai se complicando e ficando cada vez pior, com os dois tentando aceitar e se conformar com os obstáculos que lhe são impostos ao longo do caminho.


Uma grande tragédia, no entanto, pode mudar toda essa história de amor.


Há história tem uma sequência, e fiquei curiosa para saber qual será o destino final desses dois jovens tão apaixonados. Gostei da história em si, a construção dos personagens, mas, particularmente – em minha opinião sincera – senti que faltaram alguns elementos que dariam mais realismo a história, além, de não ter me apaixonado pelos personagens, acredito pois tenho um visão muito critica sobre as personagens femininas que sejam frágeis e indefesas, sempre precisando de um homem que lhes ampare.

Parabéns a autora Maribell Azevedo, pois sua escrita é fluida e muito leve. Sua história é tocante, e muito romântica.


Nenhum comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.