Header Ads

ESTIVE PENSANDO: INDIVIDUALIDADE

Estive pensando um pouco sobre individualidade e o quanto isso influencia quem somos e as nossas relações com os outros.



Tudo começou com a leitura do livro Todo Dia do David Levithan publicado pela editora Galera Record (as citações aqui são todas dele). Na história, A é o protagonista, mas na verdade não o conhecemos muito bem. E vou usar aqui o gênero masculino com aleatoriedade, porque não sabemos nem se "ele" é homem ou mulher. É como se ele fosse uma alma que habita um corpo diferente a cada dia. Um único dia é tudo o que ele tem sendo aquela pessoa.
"Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa. Sempre foi assim."
E aí podemos nos deparar com certas reflexões. Estando "do lado de dentro", ele consegue ver como cada indivíduo percebe o mundo de uma maneira diferente. 


"Meio cheio / Meio vazio"
Fonte: Pixabay
Você já pensou que uma pessoa alta vê o mundo diferente de uma pessoa baixa? O mesmo entre gordo e magro, homem e mulher ou o que for? Isso porque vemos o mundo de acordo com nossas percepções totalmente individuais. Posso olhar para uma cena e achá-la nojenta e outra pessoa pode achar a mesma coisa engraçada. O que é bonito para mim pode não ser para o outro... e assim infinitamente.
"Você percebe que as cerejas têm gosto diferente para pessoas diferentes. Que o azul parece diferente."
O A não só convivia com o fato de ter que aprender a forma como aquela pessoa lidava com o mundo, como também tinha que aprender como o mundo convivia com ela. Ou seja, quando estava no corpo de uma jovem bonita, as pessoas o tratavam de um jeito diferente do que quando ele estava no corpo de um jovem grande, jogador de futebol.

O fato é que cada um tem sua própria visão, seu próprio ponto de vista quanto a situações, pessoas, política, futebol, religião ou qualquer outro tema. O que não deve nos impedir de conviver de maneira saudável com o diferente. Aceitar opiniões e gostos diferentes, mesmo que discorde deles, é um sinal de respeito e maturidade.
"Isso me mostrou como o modo que experimentamos o mundo é arbitrário e individual."
Somos diferentes mesmo, e daí? Afinal, se sempre vejo o mundo do meu jeito, ta aí uma excelente oportunidade de enxergar coisas que não conseguiria sozinha. 

Fonte: Pixabay

Então, me diz, com sua opinião completamente pessoal, o que acha desse assunto? Vou adorar saber o seu ponto de vista!

Nenhum comentário

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.