Header Ads

Entrevista: Aceita um leite?, de Luciana Tazinazzo

Blogueira, vlogueira, simpática e amante de cachorrinho e corujas. Luciana Tazinazzo aos 23 anos de idade mora em São Paulo, é formada em design gráfico e é fundadora do blog Aceita um Leite? onde faz resenhas e dá sua opinião sobre suas leituras. 


Venha conhecer um pouco mais sobre a Lu junto comigo num bate-papo super legal que tivemos com a blogueira.

M.D: Como você se define?
L.T: Uma pessoa reclamona. Sério, estou tentando mudar, mas eu não tenho muita paciência e acabo reclamando, às vezes, exageradamente. Também sou um tanto preguiçosa. Gosto de corujas e cachorros e de comer. Sei cozinhar desde os 14 anos.


M.D: De onde surgir à ideia de criar um blog literário?
L.TNo início, em Gênesis 1:1, o blog não era literário, era mais um diário onde eu escrevia aleatoriedades. Claro que quase ninguém lia. Eu percebi - sem falsa modéstia – que meu texto era bom e me senti pronta para escrever para a internet, mas para isso funcionar, eu precisaria de um tema definido e que rendesse. Resolvi falar de livros porque estava lendo muito mais do que já li em toda minha vida. Acabou que eu me empolguei e deu certo!



M.D: Hoje em dia seu blog é famoso na comunidade literária, mas e o começo como foi? Difícil? Você já pensou, alguma vez, em desistir
por conta de alguma coisa?
L.TEu não sei se meu blog é famoooooooooso, famoso. Existem blogs “maiores”, mas eu, sinceramente, não me apego a isso. Existem alguns leitores regulares no meu blog e, através da internet, nós mantemos contato, é uma delícia. Eu já fui mais bitolada no sentido de querer mais seguidores e leitores, mas cheguei a um ponto onde isso não faz sentido se o leitor só entra no meu blog para participar de sorteios e não está nem aí para o que eu escrevo. Ter um blog dá muito trabalho, diga-se de passagem, é uma exposição a qual você se coloca e não sabe o que pode acontecer em seguida, por isso, eu quero leitores que participem e dialoguem comigo. É para isso que o blog serve. Se for para conversar com 2 pessoas ou 100, não importa, contanto que essa experiência seja válida para ambos os lados. Já tive outros blogs que larguei sem dó, mas – até agora – não pensei em desistir do aceita um Leite?

M.D: Qual o segredo para se tornar uma blogueira(o) famosa(o)?
L.T: Não tenho, não sou famosa hahahahaha. Eu sinceramente não sei. Ler apenas YA-Books? Postar 24h por dia nas redes sociais? Eu sei que não faço nada disso, e acho que não fiquei famosa, mas reuni, naquele espaço, um grupo de pessoas que compartilham de opiniões e gosto em comum, em alguns casos. Para mim está bom.
M.D: Quais suas fontes de inspiração para o blog?
Normalmente, eu penso sobre a semana do blog nos fins de semana. Procuro sempre postar resenhas, comentar algum lançamento e tentar gravar vídeos. As pessoas parecem gostar muito de tags e memes, e como eu adoro responde-los, opto por incluí-los no blog periodicamente. Não me inspiro em nada, exatamente, mas penso muito em assuntos pontuais, por exemplo, “está calor, que livros eu leria no verão?”, “está chegando o Natal, como eu me relaciono com as festas e os livros ao mesmo tempo?”, esse tipo de coisa.
M.D: E sua vida pessoa? Você consegue conciliar bem?
Sim, claro. Eu já perdi algumas horas de sono com o blog, mas valeram a pena. Nunca deixei de fazer nada ou me senti prejudicada por expor minha vida no blog, muito pelo contrário. Conheci amigos que inclusive encontrei pessoalmente ou falei pelo telefone. Hoje, o blog é parte da minha vida pessoal, como ir à academia ou fazer algum curso. Só que legal.

M.D: O que um blog literário (ou qualquer outro) precisa ter para se tornar interessante?
L.TConteúdo original e bem escrito, isso é essencial. Você precisa reinventar a roda a cada post? Claro que não, mas o leitor não é burro e sabe diferenciar uma pessoa autêntica de uma que recicla conceitos. Eu acho que blog é – por mais profissional que seja – pessoal (se eu quero uma opinião profissional, eu não procuro um blogueiro, eu procuro uma pessoa formada academicamente), então você tem que expressar o que pensa. Claro que de forma polida, não acho certo o blogueiro sair atacando deus e o mundo com 15 metralhadoras. Qualquer texto coeso escrito com educação é válido, sobre qualquer assunto. Menos quando se fala mal de cachorros, todo mundo tem que amar cachorros.

M.D: Fale um pouco sobre você. Quais suas rotinas, manias, prioridade, paixões... Essas coisas bobas que fazem toda a diferença.
L.TBom, eu sou fissurada em Beatles (e rock bom), cachorros, corujas e comida. Eu adoro ver séries e filmes (nem vou incluir meus hábitos de leitura porque isso tem a todo momento no blog), e amo Chaves. Eu gosto de ir a museus e estudar sobre arte, meus artistas favoritos são Da Vinci, Monet e Andy Warhol. Eu amo andar de bicicleta e morro de medo de dirigir, não consigo. Nunca na vida fui capaz de ler um jornal, então leio notícias na internet, e eu consumo MUITO conteúdo porcaria (principalmente do blog Morri de Sunga Branca e do 9gag). Passo a maior parte do meu tempo com meu namorado, que tem gostos muito parecidos com os meus, embora ele ame e eu odeie o Stallone, mas nós dois amamos o Bruce Lee. Gostamos muito de ir ao estádio ver o Corinthians, e eu ficaria muito agradecida se a CBF parasse de punir o time a cada chuva que dá em São Paulo, porque eu não tenho a mínima condição de ir até Araraquara ver um jogo. E eu gosto de comer brócolis e abóbora refogada.

M.D: Como você se sente sabendo que muitas meninas (os) levam suas indicações muito a sério? Como você se sente sabendo que é a fonte de inspiração de muitas blogueiras?
L.TOu blogueirOs, né? Eu fico feliz, principalmente se o leitor seguiu minha opinião e gostou de um livro. Uma vez uma amiga não gostou de um livro que eu indiquei e, sério, me senti um fracasso. Ela confiou em mim, e eu falhei. Mas estamos sujeitos a isso. Eu não escrevo nada pensando “oh meu deus, isso pode ser uma ótima ou péssima influência”, até porque eu sempre ajo dentro das leis da Constituição hehehehe, então o máximo que pode acontecer é o leitor ter uma experiência ruim e ficar chateado comigo.

M.D: Para finalizar, gostaria de deixar um recadinho para os seus fãs?
L.T: Fãs, não tenho, hehehe. Mas agradeço a todos os leitores e amigos pelo apoio diário. Eu sei que posso ser chata e pentelha quando quero – ou nem quero – mas minhas intenções são sempre boas. Estou sempre aberta ao diálogo e qualquer pessoa que me procure, por qualquer assunto, me deixa realizada. Eu gosto de sentir que posso fazer a diferença, mesmo que mínima, na vida de alguém, porque quando alguém muda minha vida, de qualquer forma, eu faço questão que ela saiba. Não quero ficar falando mais do mesmo, mas eu só tenho a agradecer à galera. E eu continuo tendo dedos bêbados, então sempre me avisem se eu escrever algum absurdo por aí.



2 comentários:

  1. Amei conhecer mais sobre lea e o blog, que aliás não conhecia, amei o blog dela também !

    Amo series, filmes, comida e coruja tb hehe ( ops confessei ) haushuash

    Adorei teu blog e as suas perguntas ! Beijos

    www.blogavontade.com

    ResponderExcluir
  2. Claro que tem fãs, Lu!! Sem modéstia!!
    :)
    E só hoje conheci o blog Maravilhosas Descobertas heheheh Bjoss

    Camilla Caetano
    companhiadepapel.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela atenção. Assim que possível estarei respondendo :)

Tecnologia do Blogger.